Auditoria de participantes | Como funciona

Todos os Participantes que atuam nos mercados administrados pela BM&FBOVESPA são auditados pela BSM. Uma de nossas principais funções é monitorar o cumprimento das leis, das normas e dos regulamentos estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional, pelo Banco Central, pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pela própria BM&FBOVESPA.

Realizamos os seguintes tipos de auditorias:

Auditoria operacional

Como funciona

Anualmente, nossos auditores realizam uma auditoria nas dependências dos Participantes da BM&FBOVESPA para avaliar a infraestrutura física e tecnológica da instituição, seus procedimentos e processos. As principais etapas desse tipo de auditoria são:

  • entendimento dos processos;
  • execução de testes;
  • validação dos pontos identificados;
  • reunião de fechamento e emissão do relatório final de auditoria.

A partir dos resultados da auditoria, os Participantes que apresentem os melhores desempenhos podem ser dispensados da auditoria presencial no ano seguinte.

As auditorias indiretas, no entanto, continuam normalmente.

Entenda a metodologia e os aspectos monitorados

Auditoria indireta

Como funciona

De forma complementar à auditoria operacional, realizamos também auditorias à distância para avaliar aspectos específicos dos Participantes com base em informações disponíveis nos bancos de dados da Bolsa ou por informações solicitadas os Participantes. São exemplos de temas avaliados em nossas auditorias indiretas:

  • enquadramento em relação a requisitos financeiros e de capital;
  • negócios de pessoas vinculadas ao Participante;
  • movimentações de conta corrente do cliente no Participante (para identificar eventual concessão irregular de financiamento pelo Participante);
  • giro da carteira do investidor (para identificar eventuais práticas de churning);
  • certificação de profissionais.

Auditorias específicas

Como funciona

Além das auditorias operacionais (“diretas”) e das auditorias à distância (“indiretas”), realizamos diversas outras atividades de auditoria, normalmente para atender demandas da CVM, do Banco Central, da BM&FBOVESPA ou de áreas internas da BSM, tais como:

  • Auditorias pré-operacionais para verificação dos requisitos para participação nos mercados da BM&FBOVESPA - demandadas pela BM&FBOVESPA;
  • Auditorias das ferramentas de controle de risco pré-negociação de clientes que se conectam com a Bolsa por meio de Acesso Direto ao Mercado (DMA) – demandadas pela BM&FBOVESPA;
  • Auditorias para análises técnicas ou fornecimento de informações adicionais relacionadas às reclamações apresentadas ao Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (MRP) – demandadas pela Superintendência Jurídica da BSM;
  • Auditorias por demandas específicas dos reguladores (CVM e Banco Central do Brasil);
  • Auditorias para verificação de aspectos relacionados a denúncias recebidas por meio de nosso Canal de Denúncias

Consulte aqui estatísticas sobre as atividades de auditoria da BSM, como o número de auditorias realizadas ano a ano.

Atitude da BSM frente à eventuais irregularidades ou deficiências de controles

Caso as análises realizadas apontem para irregularidades ou deficiências de controles e processos, poderão ser adotados procedimentos visando sua correção. Para a determinação das medidas a serem adotadas, são utilizadas as seguintes premissas:

  • gravidade da irregularidade identificada;
  • recorrência de infrações e falhas de controle;
  • total relativo de infrações e de falhas de controle observados (quantidade e relevância);
  • existência de Processo Administrativo Disciplinar em andamento ou recente sobre o mesmo assunto;
  • tempo de reação do Participante frente à recomendações anteriormente fornecidas pela BSM;
  • modelo de negócio do Participante (risco para mercado/terceiros);
  • relevância do Participante (volume);
  • diligência:
    • qualidade das ações propostas, inclusive gastos com controle;
    • tempo de reação;
    • ações realizadas;
    • melhoria da classificação ou da nota da auditoria.
  • histórico do Participante na BSM;
  • julgamento do Diretor de Autorregulação sobre a qualidade da governança;
  • encerramento de atividades do Participante.